O QUE SÃO OS MISTÉRIOS FEMININOS?

O QUE SÃO OS MISTÉRIOS FEMININOS?

isis-unveiled-ka-kathryn-june-955w

Os Mistérios Femininos são o legado da feminilidade. Sua natureza espelha o que ocorre com e através da estrutura interna feminina, uma imersão não racional e direta no movimento contínuo do universo. Alguns chamam este movimento de Caos. Mas, em lugar da desordem, esta dinâmica revela a verdade essencial. Nas escolas ocultas, este conjunto de experiências é o requisito fundamental para a iniciação nas práticas avançadas para ambos os gêneros porque abre o caminho para o que existe além da mente linear e dos sentidos físicos. Por isto, os processos recebem a denominação de mistérios. Para os homens, são movimentos quase inexplicáveis, mas para a mulher, o mecanismo indefinível é muito familiar.

Na fórmula egípcia, os mistérios “menores” de Isis e da Lua (o feminino) abriam o caminho para os mistérios solares de Osíris (o masculino) que ensinam a direção e a estruturação das forças da vida. As duas etapas devem ser vividas e não apenas compreendidas. Cada uma desenvolve peculiaridades de gênero com o propósito de criar equilíbrio e, juntos, evocam a construção de um mundo melhor.

A humanidade passou por muitos ciclos evolutivos em diferentes etapas. Enquanto a humanidade desenvolve dons maiores e evolui coletivamente, cada era ofereceu uma nova compreensão da verdade. A primeira civilização, agora mítica, ensinou através do asceticismo severo. No segundo período, seguiu a direção oposta do idealismo desprovido de realidade. A terceira e mais conhecida, a egípcia, protegeu princípios universais através de regras e rituais, buscando compensar as insuficiências das duas primeiras civilizações.  Isto resultou na criação de um sistema de castas, trazendo rigidez e alienação. Em lugar de permitir uma abertura para a amplitude de energias multidimensionais, limitou o acesso a um conjunto de frequências contidas na Câmara do Rey. A amplitude insondável do mistério é muito mais vasta.

De maneira geral, o ensinamento oculto permaneceu na etapa egípcia: especializada, limitada e exercendo uma forma de poder baseado em dominação e controle de pessoas e ambientes. O ritualismo hermético, instrumental utilizado para codificar a transmissão do conhecimento, converteu-se em norma. Em lugar de se apoiar na experiência, nosso mundo se fixou em sistemas e técnicas dirigidas a resultados, mas vazias de conteúdo espiritual característico do Princípio Feminino. O mistério em que vive a mulher, ilógico e sem forma, foi suprimido pela persistência da razão, do significado, do propósito e da forma. Isto serviu para desvalorizar o conhecimento feminino sobre o universo e sobre si mesma, afetando a sensibilidade da raça inteira.

Hoje, temos normas e Mestres masculinos que impõem seus métodos sobre mulheres derrotadas. Em passado remoto, isto seria impensável. Não é possível para a polaridade masculina viver e, menos ainda, transmitir mistérios sem a sacerdotisa, que é depositária deste conhecimento, força e do poder da transmissão. Mesmo que os homens detenham as fórmulas, as mulheres sempre serão as guardiãs dos mistérios vivos.

isis-unveiled

Os gregos, então, iniciaram a fase seguinte do desenvolvimento. Sua forma de vida foi um eco da segunda civilização, resgatando simplicidade e transmitindo a lei cósmica de maneira prática. No entanto, foi somente com a chegada do Cristo que o espírito original de inspiração baseada na alma, característica do Humano Arcangélico original, regressou à vida planetária. “Amar uns aos outros” assinala o retorno à compreensão do Princípio Feminino que se fundiu com os antigos ensinamentos das religiões solares, criando equilíbrio entre Cristo e Sofia, entre a família e o misticismo. Pela primeira vez, transmitiu-se o significado do carma individual, elemento básico do desenvolvimento humano consciente.

Maria Madalena, formada na tradição de Isis e imbuída da erudição grega, revisou os mistérios de Isis para a posteridade, dirigindo-se à mulher de hoje. Fez isto de acordo com o nosso ensinamento planetário que trouxe Jesus por meio de sua mãe. É hora de vermos Madalena como a encarnação do Caminho Feminino, uma Mestra, e não como uma figura secundária de apoio. E é hora de deixarmos de permitir que os homens a definam e interpretem para nós.

Devemos entender que os princípios originais de “O Caminho”, a base do cristianismo, eram intrinsecamente femininos, baseados no poder do coração, na inteligência superior e na prática da transmutação derivada do poder da alma. Isto se estabeleceu firmemente sobre a rede planetária por meio da atividade conjunta de Jesus e Madalena durante muitos anos. Ela criou o campo e ele invocou e dirigiu as forças.

Jesus esclareceu que os mistérios não podem ser transmitidos somente por rituais ou por informações. Ele transmitiu para “os que têm olhos para ver e ouvidos para ouvir”.  Simplificou a corrente de ensinamentos enfocando o contato direto com o coração através da sensibilidade humana. A base estava ancorada em um grupo sólido de mulheres liderado por Madalena. Os provérbios serviram de inspiração, sugerindo em lugar de declarar a Verdade. A experiência da transformação ocorreu através da atuação feminina. Foi assim que o Mestre do Mundo previu e preparou a chegada do Ciclo Feminino no futuro, que está muito longe do dogma e do intelectualismo que suplantaram a inteligência sensível do mundo interior.

Os Mistérios Femininos são os ensinamentos de Madalena. O caminho tem início na experiência pessoal e termina ao abraçar o coletivo, a totalidade da humanidade. Sugere um fluir dinâmico que mimetiza as contínuas transformações da vida. Para as mulheres, este ensinamento requer a ativação da polaridade feminina que realça a receptividade ao que não tem forma dentro do mundo das formas, reconhece a dinâmica da Criação dentro de si e compreende o poder da Presença, a obrigação de transmitir eticamente na construção dos mundos. Uma mulher aprende tudo isto mergulhando em si mesma.

Ao entrar na senda da feminilidade, uma mulher deverá inicialmente deixar de lado todas as crenças que tem sobre si mesma e suas funções na sociedade. E isto somente pode ocorrer dentro do campo energético criado com outras mulheres. Para fazê-lo, será necessário se fundir com as outras mulheres que a precederam, vinculando-se à sabedoria das idades e das possibilidades para o futuro por meio de canais internos e diretos.

O segundo, e difícil passo, é aprender a estabilizar os enormes poderes que surgem das suas emoções e sensibilidade, resultantes da sua mente peculiar e, sobretudo, do seu corpo, sem explorá-los ou permitir ser explorada. Exige que a mulher conquiste seus mecanismos emocionais e físicos e seja capaz de resistir à tremenda pressão do domínio masculino e da sua própria necessidade de servir e pertencer.

Finalmente, neste caminho, ao descobrir seu propósito específico, a vida de cada mulher se conecta de forma única ao coletivo. Implica em discernir o que é propósito superior e em reconhecer que toda a Criação, todas as pessoas são seus filhos. Sua resposta é inteiramente sua escolha.

O momento atual da nossa evolução evolutivo requer uma maior elevação de “O Caminho” por meio da aceitação sem confrontação. Isto envolve ambos os gêneros na construção de novas formas: a influência feminina na base, a atividade minuciosa masculina aliada ao espírito do Princípio Feminino.

A cura ocorre através da compreensão, amor e compaixão e não por ritual ou desejo de corrigir alguém ou consertar algo. Os Mistérios femininos, hoje, marcam o tom do nosso tempo, como Isis e Madalena o fizeram. As habilidades desenvolvidas representaram o equilíbrio entre o amor e o medo que conduz à harmonia e ao milagroso. O resultado é o equilíbrio entre a afirmação e a negação que não busca resultados específicos, mas estabelece um clima de confiança e beleza.

Por último, mas não menos importante, o mundo de hoje exige reconhecimento das diferentes polaridades que compõem o espírito em encarnação física. Exige que abracemos o Caos e as sombras de maneira equilibrada, alcançando a neutralidade sem negar a função do negativo. O chamado para nos livrarmos do medo e para estendermos nosso entendimento para além do conceito simples e superficial sobre o bem e o mal é iminente, para que possamos elevar-nos, uma vez mais, ao reino verdadeiramente universal.

É solicitado à mulher que incorpore a Verdade. A este respeito reconhecemos que a divindade interna é diferente do Deus externo. E pedimos a todos, começando pelos nossos filhos e homens que amamos, que busquem sua espiritualidade fora das seitas e religiões. Este é o espírito que nos leva a uma compreensão global e ao perdão. Líderes espirituais do mundo que se unem para abrigar a essência original de “O Caminho”, como demonstrado pelo Papa, estão abrindo o caminho neste momento.  Que sejamos as mulheres que abraçam, apoiam e ampliam esse espírito! Ao trabalho!

Tradução: Cláudia Avanzi

 

One thought on “O QUE SÃO OS MISTÉRIOS FEMININOS?

  1. Abrao msrinheiro Abrao

    Sim tudo e dual para que tenha o terceiro. Existe o homen por que existe a mulher, existe o bom por que existe o mal, existe o dia por que existe a noite, etc. etc. Nas escolas de misterio do antigo Egito, atraves dos esperimentos, harmonizacoes e vizualizacoes obtinha_se resultados satisfatorios ao chegar mais experiente, iniciava_se a travessia dos portais todos eles tem guardioes! Bom cheguei ate o 9 (nono), mas concordo que se a mulher tivesse prioridade com sua inteligencia, beleza e psicologia de visao sempre avante obteriam um resultado melhor, este e um curto comentario devido local e circunstancias. Entao digo a SOROR e ao FRATER. A PAZ!!

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Suscribirme a La Mujer Interior

Mantente informado de las novedades del blog por email